04 março 2009

Nós somos o que pensamos

Esqueça aquela velha frase de que "nós somos o que comemos", ou melhor, apenas alteremos esta frase um pouco, deixando-a assim:

"Nós somos o que pensamos"

Sim, nossos pensamentos nos influenciam e nos definem mais do que qualquer coisa em nossas vidas e, portanto, são diretamente responsáveis por nossa felicidade/tranquilidade/alegria.

Nossa tendência é sempre a de achar que mais recursos (dinheiro, tempo, etc.) resolveriam os nossos problemas, trazendo assim a tão almejada felicidade. Por que então existem tantas pessoas que apesar de possuírem diversas riquezas materiais, ainda assim são infelizes? E por que existem pessoas que apesar de quase não possuírem recursos, ainda assim vivem suas vidas com alegria e felicidade?

Claro que existe uma relação mínima de necessidades básicas a serem supridas, conforme definido pelas bases da Pirâmide de Maslow, mas estou falando aqui de algo maior... estou falando daquela sensação de estar bem consigo mesmo e com o mundo.


Algum tempo atrás deparei-me com o excelente discurso de graduação proferido por David Foster Wallace no Kenyon College em 2005 (em inglês), que aborda principalmente o tema da vida adulta, como suas pequenas (ou grandes) frustrações diárias podem afetar nossas vidas e o que podemos fazer para minimizar essas frustrações.

"Estou certo de que a essa altura vocês já sabem que é extremamente difícil manter-se alerta e atento, ao invés de deixar-se hipnotizar pelo monólogo constante dentro da sua própria cabeça (o que pode estar acontecendo agora mesmo). Vinte anos depois da minha própria graduação, cheguei gradualmente ao entendimento de que o clichê das artes liberais sobre ensinar você a pensar é na verdade uma simplificação para uma idéia muito mais séria e profunda: aprender a pensar na verdade significa aprender como exercer algum controle sobre como e o quê você pensa. Significa estar suficientemente consciente para escolher no que prestar atenção e escolher como você constrói conhecimento a partir da experiência. Porque se você não consegue exercer esse tipo de escolha na vida adulta, você estará totalmente encrencado. Pense no antigo clichê sobre a mente ser um excelente serviçal mas um terrível mestre."

O discurso atinge em cheio a questão de que controlar seus pensamentos é não apenas necessário, mas fundamental para que você possa ter uma boa qualidade de vida.

Claro que isso não é fácil, longe disso. Todos nós, em algum momento em nossas vidas diárias, somos inundados por sentimentos de ódio, de raiva, de frustração, de culpa, etc. Mas cabe tão somente a nós a busca por controle desses pensamentos.

Se estou com raiva, por que estou sentindo isso? Como eu me sentiria no lugar da outra pessoa? Essa culpa é minha mesmo ou alguém está atribuindo-a a mim e eu estou deixando? Isso é realmente tão importante assim para que eu me estresse?

Buscar a raíz de nossas emoções pode ser um bom começo para levar-nos a refletir sobre elas e sobre o quanto estamos nos deixando ser levados, porque ou você controla suas emoções ou elas controlam você.

Como quase tudo na vida, essa é uma batalha diária, que deve ser vencida pouco a pouco, dia a dia, com a certeza de que a cada passo estamos mais próximos dos nossos objetivos.

Então mãos à obra! :)

8 comentários:

Clarissa disse...

Ja pensei muito sobre isso e fui mais além, da onde q vieram nossas crenças...crenças básicas de justiça, amor, e outras sabedorias popular. Resumindo: crescemos aprendendo com os desenhos, escolas e adultos nos falando q o bem vence no final, q a justiça sempre vence...e quando crescemos vimos q não é assim. Infelizmente, nem sempre o mundo é justo, q uma mãe nem sempre sabe o q é melhor para um filho (muitas vezes abandonando-o em latas de lixo pela cidade)...mas o mais importante é q ao lado disso tudo há muita coisa boa, muito amor de todos os lados, amigos, família, belas músicas e coisas q elevam nossa alma...e sim, se nos focarmos nisso, quem sabe as coisas ruins fiquem beeeem pequenininhas?
Sou a favor de mostrar às crianças como é verdadeiramente nosso mundo...e que sim, vamos todos morrer um dia, por exemplo (para um adulto já é difícil entender, imagina para uma criança).
Mas tenho uma música q levo sempre no coração q intitularia de "Verdades para crianças", mas a q Adriana Calcanhoto chama de "Saiba":

Saiba!
Todo mundo foi neném
Einstein, Freud e Platão, também
Hitler, Bush e Saddam Hussein
Quem tem grana e quem não tem...

Saiba!
Todo mundo teve infância
Maomé já foi criança
Arquimedes, Buda, Galileu
E também você e eu...

Saiba!
Todo mundo teve medo
Mesmo que seja segredo
Nietzsche e Simone de Beauvoir
Fernandinho Beira-Mar...

Saiba!
Todo mundo vai morrer
Presidente, general ou rei
Anglo-saxão ou muçulmano
Todo e qualquer ser humano...

Saiba!
Todo mundo teve pai
Quem já foi e quem ainda vai
Lao-Tsé, Moisés, Ramsés, Pelé
Gandhi, Mike Tyson, Salomé...

Saiba!
Todo mundo teve mãe
Índios, africanos e alemães
Nero, Che Guevara, Pinochet
E também eu e você
E também eu e você
E também eu e você...

(Ouça-a qdo puder, a melodia é linda, linda.)

Léo disse...

@Clarissa: Uau! Isso não é um comentário, isso é praticamente um outro post!

Quando você vai abrir seu próprio blog para que eu possa comentar lá também? Escrevendo assim, serei visitante frequente por lá.

Ah, e vou procurar a música sim, valeu pela ótima dica (a letra é excelente)! :)

Cla disse...

Pois é, tb achei q ficou grande, mas achei q no final talvez vc não se incomodasse...e vc acabaria sendo o único visitante do meu blog...rs.
Bjão!

Léo disse...

Não me incomodei nem um pouco. Aliás, eu amei seu comentário!

Tenho certeza que você teria muitos mais visitantes, e mesmo que não tivesse, saiba que você é praticamente uma das únicas visitantes aqui e eu adoro mesmo assim... :)

edneia p.s disse...

Oi Léo, realmente seu poste é muito bom, legal, eu estive lendo, e graças a Deus e a você consegui terminar uma parte de meu trabalho do curso do Senac, muito obrigada por fazer este blog,e colocar sus opiniôes, você me ajudo bastante, Deus abençoe vc e tua familia.....
....Há e Clarissa vc fez um ótimo comentário, gostei.....

Anônimo disse...

Oi Léo, realmente seu poste é muito bom, legal, eu estive lendo, e graças a Deus e a você consegui terminar uma parte de meu trabalho do curso do Senac, muito obrigada por fazer este blog,e colocar sus opiniôes, você me ajudo bastante, Deus abençoe vc e tua familia.....
....Há e Clarissa vc fez um ótimo comentário, gostei.....
De: Ednéia (MG)

edneia p.s disse...

Valeu pela ajuda Léo...

Léo disse...

Obrigado a ***você*** pelo carinhoso comentário, Edneia!

Seu comentário até me inspirou a voltar a postar aqui no blog.

Obrigado e tudo de ótimo pra você.

Beijos,
Léo