19 março 2009

Os pequenos detalhes fazem a diferença

Para quem lê meu blog com frequência (cerca de umas 2 pessoas), não é surpresa nenhuma que um dos assuntos pelo qual tenho muito interesse seja "relacionamentos".

Talvez porque bem mais da metade das minhas amizades mais próximas sejam mulheres ou talvez simplesmente porque eu adoro observar o comportamento humano, o fato é que sempre que posso converso, discuto, escuto, reflito sobre relacionamentos.

Como não poderia deixar de ser, durante minha sessão de hoje com minha psicóloga (sim, eu faço terapia e ADORO) conversamos sobre a importância dos "pequenos detalhes" para um relacionamento. Mas o que são esses pequenos detalhes?

Qualquer pessoa que já esteve em um relacionamento sabe como eles "geralmente" funcionam. No começo há aquele interesse, aquela coisa da conquista, daí conversa-se bastante e sobre diferentes assuntos, um elogia o outro frequentemente e há aquelas pequenas surpresas casuais do dia-a-dia: um email fofo, um recado com saudades na caixa postal, flores só porque deu vontade, um jantar à luz de velas, ingressos para aquele show que o outro tanto queria ver, etc.

Tudo corre bem, ambos estão nos mil amores um com o outro e decidem levar a coisa mais adiante: namorar ou levar a coisa mais a sério ou insira aqui a sua definição disso. Cada um tem seu próprio conceito sobre "levar a coisa mais adiante", mas sempre tem aquele ponto em que você passa a ter a sensação de que a outra pessoa efetivamente "está" com você.

O que ocorre depois disso?

O que ocorre é que muitas vezes, uma das duas pessoas envolvidas (ou pior ainda, as duas), simplesmente adotam aquele espírito de "já ganhou" e páram de dar atenção justamente a esses pequenos detalhes que conquistaram a pessoa. O comportamente passa a ser o de que você já conquistou a pessoa, então não precisa mais ser feito nenhum "esforço". Nada mais de flores, de surpresas fofas, de elogios ou daquelas pequenas coisas que fazem com que nos sintamos especiais.

Sim, porque esse é o principal fator: fazer com que a outra pessoa sinta-se especial (levante a mão quem gosta de sentir-se especial).

E isso não é conquistado pelo tamanho/valor do presente, mas pela atenção, pelo cuidado que a pessoa percebe que você teve na sua escolha, no tempo dedicado a isso.

Pode ser um livro sobre o qual ela comentou há semanas atrás; pode ser um filme que você sabe que ele amou; pode ser um arranjo super simples com as flores favoritas dela; pode ser aquele prato especial que você sabe que ela adora; etc.

Pode ser um milhão de coisas, mas o importante é que a pessoa perceba claramente que, quando você escolheu fazer/comprar/conseguir aquilo, você estava pensando nela, nos gostos dela, nas preferências dela; sabendo que você fez tudo isso pura e simplesmente porque essa pessoa é especial pra você.

Por isso que meu conselho a você (homem ou mulher) é o seguinte: não importa há quantos anos/meses/dias/décadas vocês estejam juntos, dedique um tempo para surpreender sua cara-metade. Eu te garanto que o surpreendido será você com os resultados. ;)

2 comentários:

Clarissa disse...

Assino embaixo. Acho mesmo q nos acostumamos e até culpamos a vida (sempre tão atribulada) por esquecermos de pequenos mas tão importantes detalhes.
Esse texto me lembrou uma frase do "Pequeno Príncipe" (com certeza vc já deve ter lido): "Foi o tempo que dedicaste à tua rosa que fez tua rosa tão importante." Isso resume tudo para mim.

Léo disse...

@Clarissa: Cá está você novamente fazendo excelentes comentários e ainda por cima acrescentando mais informação ao post. :)

Li o "Pequeno Príncipe" sim, mas foi há muito tempo atrás, então nem lembrava mais dessa linda frase. Linda mesmo e resume perfeitamente a idéia.

Obrigado pelo brilhante comentário. :)