19 setembro 2008

Como nossos pais?

Hoje venho bater um papo sobre algo que tenho pensado bastante nos últimos tempos: será que serei um pai tão bom quanto meus pais foram?

Porque a gente normalmente não pára pra pensar em o quanto é difícil criar os filhos, ensiná-los a diferença entre certo e errado, ensiná-los valores, princípios.

Dia desses estávamos discutindo esse assunto em família, e a preocupação principal minha e do meu irmão era justamente essa dúvida sobre nossa competência para sermos bons pais. Nosso ponto era de que hoje temos uma condição de vida melhor do que tínhamos na nossa infância, o que significa que teremos o privilégio de oferecer um padrão de vida aos nossos filhos melhor do que o que tivemos. Mas esse mesmo privilégio pode tornar-se um desafio a mais para a educação da próxima geração, pois será que toda essa "facilidade" a mais para nossos filhos não tornará ainda mais difícil a valorização do que eles possuem? Será que por poderem estudar em colégios bons e pagos (nós - eu e meu irmão - estudamos sempre em colégios públicos), nossos filhos se tornarão pessoas cada vez mais distantes da realidade do nosso país? Será que nós teremos a competência para, apesar de tudo isso, transmitir a eles o conhecimento necessário para que possam crescer como indivíduos conscientes de si e do mundo ao seu redor?

O irônico é que meus pais possuem muito mais fé em nós do que nós mesmos (rs). Segundo eles, essas preocupações também passaram por suas mentes antes de nós nascermos, e eles também erraram algumas vezes, e acertaram outras, e foram corrigindo a rota ao longo do caminho, focando sempre em nos ensinar valores e princípios para que, a partir destes, pudéssemos traçar nosso próprio caminho.

O fato é que por mais que me preocupe, vale aquela velha história de "jogo é jogo, treino é treino", ou seja, só na hora H é que saberei realmente se conseguirei me sair bem como pai.

Agora eu que pergunto a vocês: esse tipo de preocupação passa pelas suas mentes? Chegaram a alguma conclusão sobre isso? Ou esse tipo de pensamento só passa pela minha mente ansiosa? :)

2 comentários:

drika disse...

Noooossa! eu penso nisso o tempo todo!
mas uma coisa eu acho q é certa. se essas dúvidas passam pela sua cabeça, e se vc acha q seus pais lhe deram uma boa educação, o caminho pro erro é bem menor.

eu admiro a minha educação, e é claro, vou acrescentar uma coisinha aqui e ali, mas a essência vai permanecer!

relaxa... na hora vc vai se desesperar de novo!
ehehehe
beijão!

Léo disse...

Muitíssimo obrigado pelo comentário, drika!

O que eu mais amei foi a conclusão... rs... pode ter certeza de que na hora eu vou me desesperar de novo... :D

Beijão,
Léo